Comunicados à imprensa

 

COMUNICADOS À IMPRENSA

 
 
 
fevereiro 18, 2020

MARAEY, COMPLEXO TURÍSTICO-IMOBILIÁRIO SUSTENTÁVEL EM MARICÁ, TERÁ PROJETO DE NIEMEYER E DE OUTROS CINCO RECONHECIDOS ESTÚDIOS DE ARQUITETURA

Executivos da empresa realizam visita técnica com arquitetos do Brasil e da Espanha, nesta terça (18), no terreno onde será construído o empreendimento

A IDB Brasil fechou parceria com cinco reconhecidos escritórios de arquitetura e urbanismo do Brasil e do exterior, além de obter a cessão de um projeto de Oscar Niemeyer para o MARAEY, um inovador complexo turístico-residencial sustentável que está sendo licenciado na costa de Maricá. Do Brasil, confirmaram participação Mayerhofer & Toledo Arquitetura e Piratininga Arquitetos Associados. Da Espanha, participarão Abacus Property Development, b720 Fermín Vázquez Arquitectos e International Hospitality Projects (IHP). Os projetos terão o apoio do GPO Group.

As curvas de Niemeyer estarão presentes no projeto no Aquário Oceanográfico, que foi desenhado anos atrás por um dos mais reconhecidos arquitetos da história, falecido em dezembro de 2012. A estrutura será desenvolvida dentro do complexo em parceria com a Prefeitura de Maricá, que ficará responsável pela construção.

Nesta terça-feira (18), o CEO da empresa, Emilio Izquierdo, e o diretor-executivo, David Galipienzo, receberam representantes dos escritórios para uma visita técnica, na área do empreendimento, que tem 840 hectares. Durante o encontro, os arquitetos puderam conhecer pessoalmente as dimensões do projeto, que prevê resorts turísticos e novas moradias de diferentes tipologias, com acesso a serviços de educação, saúde, comércio, esportes, lazer e negócios, tudo dentro do complexo, para moradores e visitantes.

“Estamos muito felizes em anunciar essas parcerias com escritórios de tanta relevância para o mercado imobiliário. MARAEY é um projeto icônico e, por isso, queremos servir de modelo e inspiração para toda a América Latina e ter esses parceiros conosco só reforça o compromisso do nosso empreendimento com as mais altas normas de qualidade, eficiência energética e inovação”, afirma Emilio Izquierdo, CEO da IDB Brasil.

Os escritórios b720 Fermín Vázquez Arquitectos e Piratininga Arquitetos Associados estarão encarregados da parte da arquitetura e design dos prédios residenciais de MARAEY. O primeiro é premiado internacionalmente pelo projeto do edifício Forma Itaim, em São Paulo, e o segundo, premiado no Brasil pelo projeto de apartamentos para professores e dirigentes do Instituto de Tecnologia Aeronáutica, além de desenvolver projetos urbanos para Fortaleza e São Paulo. A iniciativa contará ainda com a consultoria em engenharia e infraestrutura do GPO Group.

Já a Mayerhofer & Toledo Arquitetura, dos arquitetos Luiz Carlos Toledo, Luiz Claudio Franco e Lucas Franco, além da participação no desenho do plano geral do empreendimento, desenvolverá também projetos na área residencial e hospitalar e da urbanização da comunidade de Zacarias. Entre as iniciativas reconhecidas do estúdio, destacam-se a liderança na construção do Plano Diretor da Favela da Rocinha, considerado uma referência nacional em habitação de interesse social, que gerou o Plano de Aceleração do Crescimento na comunidade, edificações de médio a grande porte nos mais diversos segmentos por todo o país, como o Centro de Convenções Cidade Nova (SulAmérica), no Rio de Janeiro, e diversas unidades de saúde, como os hospitais Vita do Rio e de Brasília, e os hospitais de Saracuruna e Moacyr Rodrigues do Carmo, em Duque de Caxias.

Os prédios comerciais e educacionais serão desenvolvidos pela Abacus Property Development, uma companhia focada no desenho e gerenciamento de projetos turísticos e imobiliários, que conta no seu portfólio com mais de 150 projetos em 21 países. A Abacus trabalhará em parceria no desenho dos hotéis com a International Hospitality Projects (IHP) e as bandeiras, que serão anunciadas ao longo deste ano. A IHP, titular de mais de 40 projetos de arquitetura de hotéis na Espanha, entre os quais o Gran Hotel Inglês (Madrid) e o Majestic Hotel & Spa (Barcelona), já gerenciou projetos que somam quase R$ 5 bilhões.

SOBRE MARAEY

MARAEY, Paraíso na Terra, é o inovador projeto turístico-residencial do Brasil. Desenvolvido numa área de 840 hectares em Maricá, somente a 45km do centro do Rio de Janeiro, o complexo vai se tornar um exemplo mundial de sustentabilidade ambiental, econômica e social.

Em seu braço turístico, MARAEY contará com quatro hotéis 5 estrelas, que receberão uma média de 300 mil turistas por ano. Um projeto já confirmado será o Rock in Rio MARAEY Resort, primeiro hotel temático da marca do festival no mundo onde os visitantes desfrutarão das melhores experiências musicais e de entretenimento à beira da praia. As outras bandeiras, que serão anunciadas ao longo de 2020, vão administrar um luxuoso eco-boutique resort, um hotel desenhado para ser o mais icônico resort de convenções a beira-mar do país, e o MARAEY Golf Resort, ao redor de um campo de golfe de padrão internacional de 18 buracos.

O projeto oferecerá novas moradias de diferentes tipologias (multifamiliar, duplex e vilas) com serviços integrados como escola, hospital, shopping e negócios, além de inúmeras atividades de lazer. MARAEY inclui, também, uma universidade de hotelaria de padrão internacional, para posicionar Maricá como um polo de formação especializada na América Latina.

Com uma ocupação predial de apenas 6,6% do terreno, dentro do empreendimento será criada a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga do Estado do Rio; e incluirá ainda um centro de pesquisas ambientais que conta com o apoio de instituições acadêmicas como UFRJ, UFF, UFES e UFRRJ.

O investimento privado previsto é da ordem de R$ 11 bilhões, com geração de impostos de R$ 7,2 bilhões durante a construção e mais R$ 1 bilhão anual na operação, sem falar de 36 mil empregos diretos e indiretos quando o complexo estiver em funcionamento.

As cerca de 200 famílias de pescadores que vivem na comunidade de Zacarias, dentro da área do empreendimento, serão beneficiadas pela regularização fundiária, com cessão de título de propriedade e entrega de escritura definitiva aos moradores. A comunidade receberá, ainda, melhorias de infraestrutura urbana idênticas às do empreendimento, como saneamento com tecnologia terciária, urbanização de vias e rede elétrica subterrânea.

A IDB Brasil incentivará ainda a cultura e a pesca locais com programas de recuperação da Lagoa de Maricá, de repovoamento de espécies nativas e de resgate e de divulgação da memória familiar de Zacarias, através da criação da Casa do Pescador Artesanal.

SOBRE A IDB BRASIL

A IDB Brasil é a empresa responsável por desenvolver o projeto MARAEY (maraey.com). É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de matérias primas, construção e imobiliário, com projetos que envolvem recuperação ambiental.

O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.

outubro 5, 2019

MARAEY GOLF RESORT VAI COLOCAR MARICÁ NO CIRCUITO MUNDIAL DO ESPORTE

Além de Campo com 18 buracos e padrão internacional aberto ao público, complexo turístico-residencial terá uma hípica

MARAEY, um dos mais importantes complexos turístico-residenciais da América Latina, vai transformar Maricá, no litoral do Estado do Rio de Janeiro, não apenas em um polo de turismo, mas também em uma das escalas do circuito mundial do golfe. Um dos quatro hotéis cinco estrelas do empreendimento será o MARAEY Golf Resort, que contará com um campo de 18 buracos distribuídos em 70 hectares, dentro de todas as especificações para receber competições oficiais internacionais.

O resort, o campo de golfe e as vilas (residências exclusivas de alto padrão ligadas ao hotel) ficam diante da Lagoa de Maricá, uma das mais belas paisagens do Estado do Rio. Tudo isso dentro de MARAEY, um complexo de 840 hectares com apenas 6,6% de área edificada e a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga no estado. Esporte, conforto e natureza em um mesmo lugar.

CAMPO SERÁ SUSTENTÁVEL E INCLUSIVO

A extensão do percurso será de 6.400m, tendo 18 buracos com par 72 total – no golfe, “par” é a expectativa de número ideal de tacadas que devem ser dadas em um buraco do tee (saída) até o buraco propriamente dito. Os 18 buracos são distribuídos da seguinte forma: quatro buracos curtos (par 3) de 130 a 220 m, dez buracos (par 4) de 220 a 450 m e quatro buracos longos (par 5) com mais de 450 m. O percurso consiste em duas rodadas de nove buracos cada uma, o que permite jogar uma partida completa ou fazer apenas 9 buracos.

Como todo o conceito de MARAEY, o campo de golfe é sustentável, com o mínimo de área gramada e aproveitamento no paisagismo da vegetação natural de restinga, que ocupará 72% da área. A irrigação será feita com a água limpa resultante do moderno tratamento de esgoto dos hotéis e residências. Um aspecto igualmente importante é o caráter aberto o campo, como ressalta David Galipienzo, diretor-executivo da IDB Brasil, empresa responsável por MARAEY.

“Na maioria dos campos, apenas os sócios e seus convidados podem jogar. Em MARAEY, não será assim. Além dos hóspedes do hotel e dos moradores das vilas do entorno, qualquer pessoa, mediante um ingresso, poderá fazer uso do campo. Nosso objetivo é difundir a prática do esporte no Brasil” – diz Galipienzo.

Para incentivar o golfe, o Marey Golf Resort terá ainda uma escola do esporte e oficinas para os praticantes. O campo, o resort e as vilas fazem parte da primeira fase do empreendimento, assim como o Rock In Rio MARAEY Resort, o primeiro hotel com a marca do mais importante festival de música do mundo. As obras estão previstas para começar no primeiro semestre de 2021.

HÍPICA TERÁ PISTA COBERTA E AULAS

O golfe não será o único esporte olímpico com destaque em MARAEY. O complexo contará também com uma hípica dentro dos padrões da Federação Equestre Internacional (FEI) e da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH). Ela contará, entre outras instalações, com uma pista coberta, duas pistas gramadas e duas trilhas de areia, clínica veterinária, e escola equestre, além de lojas e restaurantes.

SOBRE MARAEY

Tendo de um lado a Lagoa de Maricá e de outro 8,5 quilômetros de praia virgem, MARAEY é um paraíso onde tecnologia, conforto e respeito à natureza se encontram. Serão quatro resorts cinco estrelas: o Rock In Rio MARAEY Resort, o MARAEY Golf Resort, um resort de convenções e um hotel-boutique ecológico junto à RPPN. Além de residências e de uma comunidade tradicional de pescadores regularizada e urbanizada, o complexo terá uma universidade de hotelaria, centros comerciais, escolas e um hub de tecnologia. A RPPN contará com um Centro de Pesquisas, em parceria com UFRJ, UFF e UFRRJ, onde pesquisadores desenvolverão projetos de proteção a espécies hoje ameaçadas.

SOBRE A IDB BRASIL

A IDB Brasil é a empresa criada para desenvolver o projeto MARAEY. É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de construção global, com projetos que envolvem recuperação ambiental.

O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.

setembro 28, 2019

ROCK IN RIO MARAEY RESORT É LANÇADO NO SEGUNDO DIA DO FESTIVAL

Evento conta com a vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, e o presidente-executivo da IDB Brasil, Emilio Izquierdo Merlo; projeto será parte do MARAEY, um dos maiores complexos turísticos-residenciais sustentáveis do país

A mais completa experiência musical em um paraíso sustentável a apenas 45 quilômetros do Centro do Rio de Janeiro. Esta é a proposta do Rock In Rio MARAEY Resort, primeiro hotel temático do mundo com a marca do festival. O empreendimento foi anunciado oficialmente neste sábado pela vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, e por Emilio Izquierdo Merlo, presidente-executivo da IDB Brasil, empresa responsável pelo MARAEY. Um dos maiores complexos turísticos-residenciais do Brasil, que será desenvolvido num terreno de 840 hectares, com ocupação predial de apenas 6,6% da área

A construção do Rock In Rio MARAEY Resort, um dos quatro hotéis previstos na região, está programada para começar no primeiro semestre de 2021, e o início da operação dois anos depois. Emilio Izquierdo Merlo comemorou a parceria com a maior e melhor marca de festivais de música do mundo:

“A presença do MARAEY, hoje, junto à marca Rock In Rio, com a qual estamos alinhados nos valores de inovação, sustentabilidade e responsabilidade social, é o começo de um sonho longamente batalhado. Vamos, com total apoio de instituições públicas, acadêmicas e privadas, dar a Maricá e ao Estado do Rio o mais inovador e sustentável polo de turismo do país” – diz o presidente-executivo da IDB Brasil.

Para Roberta Medina, o Rock In Rio MARAEY Resort é uma importante experiência de contato da marca com seu público.

“Queremos ir além de um festival a cada dois anos e de ações em redes sociais. Poder materializar os valores da marca neste novo contexto é muito positivo para o Rock In Rio” – afirma a vice-presidente do festival.

R$ 11 BILHÕES DE INVESTIMENTO PRIVADO, R$ 7,2 BILHÕES POR ANO EM IMPOSTOS

Localizado na costa do município de Maricá, o complexo MARAEY terá investimento privado de R$ 11 bilhões em 14 anos, vai gerar R$ 7,2 bilhões em impostos por ano durante a construção e mais R$ 1 bilhão por ano em operação. As obras de todo o complexo, previstas para durar 14 anos, gerarão até 52 mil empregos diretos. A operação do MARAEY gerará 36 mil empregos diretos e indiretos por ano.

Além de quatro hotéis cinco estrelas e de zonas residenciais, o complexo contará com a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga do Estado do Rio, com 437 hectares. Nela, funcionará um Centro de Pesquisas da Flora e Fauna com apoio de pesquisadores de universidades como UFRJ, UFF e UFRRJ.

O Rock in Rio MARAEY Resort vai doar 0,7% de sua receita a projetos de proteção ambiental, educação e desenvolvimento social.

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, visitou mais tarde o estande do MARAEY no Rock In Rio e reafirmou seu apoio ao empreendimento.

“Fiquei encantado desde o primeiro momento em que fui apresentado ao projeto. Serão mais de 300 mil turistas por ano. É realmente algo fantástico. Podem contar com todo o apoio do Estado do Rio” – disse o governador.

O complexo MARAEY entende o patrimônio ambiental e a cultura da população local como valores fundamentais ao empreendimento. O projeto prevê a urbanização e a regularização fundiária da comunidade de pescadores de Zacarias, cujas duzentas famílias receberão título de propriedade e obras de infraestrutura no mesmo padrão do restante do complexo.

“O empreendimento ganha sentido com valores ambientais e sociais. A comunidade e o ambiente serão beneficiados com um programa de resgate da memória cultural, um programa de revitalização da Lagoa de Maricá e um programa de repovoamento com espécies nativas. Vamos construir a Casa do Pescador Artesanal, com a exposição da memória e da cultura local, e trabalhar para garantir a continuidade da pesca” – diz o diretor-executivo da IDB Brasil, David Galipienzo.

Para o prefeito de Maricá, Fabiano Taques Horta, o empreendimento pode mudar o perfil da cidade e contribuir como um forte indutor de desenvolvimento para o Estado.

“Vivemos o ciclo do petróleo. O MARAEY vai trazer para Maricá o ciclo do turismo, com benefícios para toda a população e a economia local e até estadual”.

Para qualificar a mão-de-obra, o MARAEY contará, dentro do complexo, com uma universidade de hotelaria comandada por uma das mais prestigiadas escolas de hotelaria do mundo, que será anunciada em breve.

SOBRE A IDB BRASIL

A IDB Brasil é a empresa criada para desenvolver o projeto MARAEY. É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de construção global, com projetos que envolvem recuperação ambiental.

O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.

setembro 24, 2019

COMISSÃO ESTADUAL DE CONTROLE AMBIENTAL (CECA) REVALIDA LICENÇA AMBIENTAL DE MARAEY, EMPREENDIMENTO TURÍSTICO-RESIDENCIAL SUSTENTÁVEL EM MARICÁ

Decisão foi tomada após o Superior Tribunal de Justiça derrubar liminar que impedia o licenciamento de projeto. Empresa pedirá Licença de Instalação nas próximas semanas, para começar as obras até o início de 2020.

A Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca) renovou, terça-feira (24/09), a Licença Prévia (LP), do MARAEY, empreendimento turístico-residencial sustentável desenvolvido pela IDB Brasil numa área de 840 hectares em Maricá, com apenas 6,6% de ocupação predial. Vinculada à Secretaria de Estado do Ambiente, a Ceca é o órgão colegiado que coordena, supervisiona e controla o uso racional do meio ambiente no Estado do Rio.

A renovação aconteceu após o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, cassar, a pedido da prefeitura de Maricá, uma liminar do TJ fluminense que impedia o licenciamento do projeto. Segundo o ministro, “a paralisação indefinida da atuação da administração e, consequentemente, da implementação de projetos capazes de gerar impactos positivos na economia local e no desenvolvimento sustentável da área, causa grave lesão à economia pública”.

Nas próximas semanas, a IDB Brasil entrará com o pedido de Licença de Instalação (LI), que permitirá o início das obras, estimado para o início de 2020.

Para o diretor-executivo da IDB Brasil, David Galipienzo, a renovação da licença é uma vitória do desenvolvimento sustentável:

“A decisão da Ceca confirma que nosso projeto não apenas respeita confortavelmente a lei, como também propõe soluções importantes nos pilares da sustentabilidade. Os impactos serão positivos em várias dimensões. Estou certo que nos tornaremos referência para novos projetos sustentáveis no Rio de Janeiro”.

SOBRE O MARAEY

O projeto MARAEY, um complexo turístico-residencial com componentes importantes de sustentabilidade, está sendo desenvolvido numa área de 840 hectares em Maricá com ocupação predial de apenas 6,6% do terreno. Dentro do empreendimento, será criada a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga do Estado do Rio e um centro de pesquisas ambientais, com o apoio de instituições acadêmicas como UFRJ, UFF e UFRRJ, para ampliar a pesquisa em torno da flora e da fauna locais.

As cerca de 200 famílias de pescadores que vivem na comunidade de Zacarias, dentro da área do empreendimento, serão beneficiadas pela regularização fundiária, com cessão de título de propriedade e entrega de escritura definitiva aos moradores. A comunidade receberá, ainda, melhorias de infraestrutura urbana idênticas às do empreendimento, como saneamento com tecnologia terciária, urbanização de vias e postes subterrâneos. A IDB incentivará ainda a cultura e a pesca locais com programas de recuperação da Lagoa de Maricá, de repovoamento de espécies nativas e de resgate e de divulgação da memória familiar de Zacarias, através da criação da Casa do Pescador Artesanal.

O projeto conta com quatro hotéis cinco estrelas, um campo de golfe, uma hípica, uma universidade de turismo e hotelaria, além de comércio e demais serviços. O investimento privado previsto é da ordem de R$ 11 bilhões, com geração de impostos de R$ 7,2 bilhões durante a construção e mais R$ 1 bilhão anual na operação, sem falar de 52 mil empregos diretos na fase de instalação e 36 mil empregos diretos e indiretos por ano quando o complexo estiver funcionando.

SOBRE A IDB BRASIL

A IDB Brasil é a empresa criada para desenvolver o projeto MARAEY. É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de construção global, com projetos que envolvem recuperação ambiental.

O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.

setembro 18, 2019

MARAEY: R$ 11 bi DE INVESTIMENTOS PRIVADOS, R$ 7,2 bi EM IMPOSTOS E A SEGUNDA MAIOR RESERVA DE RESTINGA DO ESTADO

Complexo turístico-residencial sustentável terá quatro hotéis, entre os quais o primeiro resort temático da marca Rock in Rio, e um centro de pesquisas ambientais com a participação de instituições como UFRJ, UFF e UFRRJ

O Estado do Rio vai ganhar um dos mais importantes empreendimentos turísticos-residenciais sustentáveis do país, MARAEY, desenvolvido pela empresa IDB Brasil. Com mais de R$ 11 bilhões de investimentos privados, quatro hotéis de padrão cinco estrelas, incluindo o primeiro resort temático com a marca Rock In Rio, e condomínios residenciais, o projeto vai gerar R$ 7,32 bilhões de impostos aos cofres públicos ao longo de seus 14 anos de construção e mais de R$ 1 bilhão por ano já em funcionamento. A previsão é de um aquecimento na economia do Estado do Rio, com a geração de até 52 mil empregos diretos durante a obra e 36 mil diretos e indiretos por ano no funcionamento. O projeto MARAEY está localizado numa bela zona costeira de 840 hectares com 8,5 km de praia no município de Maricá, a apenas 45 km do Centro do Rio.

O impacto econômico do empreendimento foi avaliado a partir de estudos elaborados pela Abacus, empresa associada ao projeto, baseados, entre outros relatórios, no report de due diligence elaborado pela consultoria KPMG, a pedido da IDB Brasil.

No estudo da KPMG, intitulado “Project MARAEY Rio de Janeiro: financial due diligence report”, o desdobramento dos custos da construção do projeto, que somam R$ 11,2 bilhões, revela que os componentes mais importantes são a urbanização completa do empreendimento e a infraestrutura residencial, com cerca de R$ 8,5 bilhões, e hotelaria, com cerca de R$ 1,8 bilhão do total.

O documento demonstra, ainda, que a administração pública vai arrecadar R$ 6,22 bilhões em impostos diretos e R$ 1,1 bilhão em impostos indiretos durante o período de construção e consolidação do empreendimento, estimado em 14 anos.

O número de empregos do projeto durante a fase de instalação foi calculado com base nos indicadores da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), da Fundação Getúlio Vargas. Nos 14 anos previstos de obras, serão gerados cerca de 52 mil empregos diretos. Já na fase de operação a previsão é de 36 mil empregos por ano, 18 mil diretos e 18 mil indiretos e induzidos.

A distribuição percentual dos empregos diretos em plena operação se dá da seguinte forma: 26,16% para os hotéis, 39,39% em comércios e serviços e 34,45% no setor residencial. Mais de 40% das vagas são orientadas a profissionais com qualificação técnica e de nível superior – com todas as vagas preferenciais aos residentes da região.

As receitas anuais de hospedagem nos quatro hotéis do complexo ao início das operações estão calculadas em R$ 1,3 bilhões. Apenas nos hotéis, estima-se a geração de 4.730 empregos diretos.

“Acreditamos que o Rio de Janeiro tem um aproveitamento turístico muito aquém de seu enorme potencial. Além disso, toda a infraestrutura hoteleira dentro da Área Metropolitana da cidade é urbana. Com a construção de quatro resorts de alto luxo numa área paradisíaca a apenas 45 quilômetros dos aeroportos nacional (Santos Dumont) e internacional (Tom Jobim), vamos dar uma contribuição inigualável ao desenvolvimento turístico e econômico de todo o Estado” – afirma Emilio Izquierdo Merlo, presidente-executivo da IDB Brasil.

COMBINAÇÃO ENTRE ALTO LUXO E PADRÕES ESTRITOS DE SUSTENTABILIDADE

MARAEY não se resume a turismo e habitação de alto padrão. Localizado na Área de Proteção Ambiental (APA) de Maricá, uma unidade de conservação de uso sustentável, o empreendimento ocupará somente 6,6% da área com edificações – a metade do limite permitido pelo Plano de Manejo decretado para a região. O projeto prevê como ativos fundamentais a proteção ao meio ambiente, a valorização da comunidade local de pescadores de Zacarias e o investimento em educação e pesquisas acadêmicas, com a participação de algumas das principais instituições acadêmicas do Estado.

Os quatro hotéis do MARAEY terão dois mil quartos para receber uma média de 312 mil turistas por ano. Um deles será o primeiro resort da marca Rock In Rio, onde o visitante desfrutará das melhores experiências musicais e de entretenimento diante de uma espetacular praia de areia fina. E este hotel terá um nível de compromisso e conscientização único a través de diversas atuações como o destino do 0,7% das receitas totais a projetos de sustentabilidade (ambiental, sociocultural e de formação) e a comunidade Rock in Rio Volunteer. Outras três bandeiras internacionais serão anunciadas nos próximos meses. As marcas vão administrar um hotel eco-boutique integrado à Reserva Particular do Patrimônio Natural, um luxuoso hotel desenhado para ser um importante centro de convenções da América Latina e um Golf Resort de padrão internacional ao redor de um campo de golfe de 18 buracos.

MARAEY não é só um lugar para se visitar. O empreendimento prevê 7 mil novas moradias de diferentes tipos: multifamiliar, duplex, geminada e vila. Os prédios residenciais têm gabarito máximo de quatro andares, integrando-se de forma não invasiva ao ambiente. Moradores e visitantes contarão, dentro do empreendimento, com acesso a serviços de educação, saúde, comércio, esportes, lazer e negócios. O MARAEY também garante a segurança máxima para toda a área, incluindo a comunidade de Zacarias.

A filosofia do MARAEY é de uma Smart City, com implementação extensiva de Tecnologias da Informação e Comunicação. Edifícios inteligentes e iniciativas de uso equilibrado dos recursos naturais vão minimizar o impacto sobre o meio ambiente. O sistema local de transporte vai usar o modal elétrico, diminuindo a emissão de poluentes do ar. Além disso, o complexo contará com inúmeros pontos de conexão elétrica.

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL E ACADÊMICA

Com 8,5 quilômetros de praias e 12 quilômetros de margem da Lagoa de Maricá, a área onde fica o empreendimento é paradisíaca, mas vem sofrendo contínua degradação. Poluição na lagoa, retirada ilegal de areia e madeira e outros usos indevidos prejudicaram o meio ambiente. Será política do empreendimento o contínuo trabalho de monitoramento ambiental e recuperação de áreas degradadas. A criação de uma RPPN de restinga, a segunda maior do Estado do Rio, por exemplo, confere ao projeto a responsabilidade de preservação integral e perpétua à área delimitada, com obrigação de gestão.

A área do empreendimento tem 840 hectares, dos quais somente 6,6% terão edificações ao final da construção do MARAEY. Descontando-se áreas de intervenção, como vias de acesso, jardins e o trecho já ocupado pela comunidade de Zacarias, 81% da área será preservada ou recuperada para garantir a vegetação nativa.

Algumas das mais importantes instituições de ensino e pesquisa do país, como UFRJ, UERJ, UFF, UFRRJ, UFES e FURG farão parte do Centro de Pesquisas do MARAEY. Será uma instituição voltada para o estudo e a recuperação da flora e da fauna da restinga e dos demais ecossistemas da região.

Todo o esgoto do complexo, incluindo o da comunidade Zacarias, receberá tratamento terciário, o mais moderno do mundo, garantindo que nenhuma poluição seja despejada no mar ou na lagoa. O esgoto se transforma em água de reuso, para rega do campo de golfe e de jardins.

COMUNIDADE LOCAL: TÍTULO DE PROPRIEDADE E CULTURA PRESERVADA

A responsabilidade social é um dos pilares do empreendimento. A comunidade de pescadores de Zacarias, composta por cerca de 200 famílias, que atualmente vivem em condições jurídicas precárias, será beneficiada com um processo de regularização fundiária na primeira fase do projeto, com a cessão de título de propriedade e entrega de escritura definitiva aos moradores.

A comunidade ganhará melhorias de infraestrutura urbana, como saneamento e pavimentação de vias, no mesmo padrão do empreendimento.

A tradição e a cultura da comunidade serão resgatadas através de ações importantes como a criação da Casa do Pescador Artesanal, com a exposição da memória da atividade e o apoio técnico para garantir a continuidade da pesca, além de um programa de resgate e divulgação da memória familiar de Zacarias. O pescado será incentivado através de um programa de recuperação da Lagoa de Maricá e repovoamento com espécies nativas.

“O empreendimento ganha sentido com valores ambientais e sociais. A comunidade e o ambiente serão beneficiados com um programa de resgate da memória cultural, um programa de revitalização da Lagoa de Maricá e um programa de repovoamento com espécies nativas. Vamos construir a Casa do Pescador Artesanal, com a exposição da memória e da cultura local, e trabalhar para garantir a continuidade da pesca” – diz o diretor-executivo da IDB Brasil, David Galipienzo.

EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO

A perspectiva de geração de 18 mil empregos diretos na operação do MARAEY cria uma enorme demanda por pessoal qualificado nas áreas de turismo e serviços. Para atender a essa necessidade, será criado no empreendimento o Campus Universitário MARAEY, liderado por umas mais renomadas escolas de hotelaria do mundo, cujo nome será anunciado nos próximos meses, com capacidade para 700 estudantes de nível superior. Com a criação do Centro de Formação de Hotelaria de Maricá, para 3 mil alunos de nível médio, pela administração municipal, a cidade vai se consolidar como um polo de formação e de excelência de serviços, em nível técnico e superior.

SOBRE A IDB BRASIL

A IDB Brasil é a empresa criada para desenvolver o projeto MARAEY. É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de construção global, com projetos que envolvem recuperação ambiental.

O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.